Home / Os Jardins do Amor / Os Jardins do Amor – 16ª Parte

Os Jardins do Amor – 16ª Parte

Valorizar a Vida

Dawúd bin Dinár (rahimahulláh) foi um grande imám na ciência de Hadíce e foi até o professor de muitos muaddicínes como Imám Shu’bah (rahimahulláh) e Imám Wakí’ (rahimahulláh).

Durante a sua vida, a cidade de Khurassán, o local onde ele vivia, foi assolada por uma epidemia em que muitas pessoas perderam as suas vidas. Dawúd bin Dinár (rahimahulláh) também foi afectado pela doença. Mas, como a sua morte ainda não estava destinada, ele recuperou da doença.

É relatado que enquanto estava doente, Dawúd bin Dinár (rahimahulláh) ficou inconsciente, e neste estado, sonhou que o teto da sua casa abriu e dois anjos entraram. Um anjo sentou ao lado da sua cabeça e o outro sentou-se do lado dos pés. O anjo sentado do lado dos pés começou a examinar as solas dos seus pés, enquanto que o anjo do lado da cabeça abriu a sua boca para examinar a sua língua.

O anjo sentado do lado dos pés disse: “Eu vejo que ele usa os seus pés para caminhar para o Masjid com muita frequência.” Em outras palavras, ele é merecedor das grandes recompensas mencionadas no Hadíce de que por cada passo recebe uma recompensa, o seu degrau é elevado e um pecado é apagado.

O anjo sentado do lado da cabeça disse: “Eu consigo observar que a sua língua está húmida com a recitação de Tahmíd (Al-hamdulilláh), Tassbíh (Sub-hánallah) e outras formas de Zikr. Mas, também vejo que a recitação do Qur’án é muito pouca.”

De seguida, um dos anjos disse ao outro: “A hora para ele deixar o mundo ainda não chegou.” Depois disso, os dois anjos partiram e o teto fechou-se.

Quando Dawúd bin Dinár (rahimahulláh) acordou, apercebeu-se de que Allah Ta’ála o havia agraciado com mais algum tempo de vida para que ele pudesse corrigir esta fraqueza. Desse dia em diante, ele passou uma grande parte do seu tempo na recitação do Qur’án e na aquisição do conhecimento relacionado com o Qur’án. (Taríkh Dimashq (129/17)

Podemos perceber a partir deste incidente que quando Allah Ta’ála deseja o bem de alguém, Ele utiliza diferentes meios para o alertar das suas fraquezas.

Consta nos hadíces que devemos recitar o seguinte duá ao acordar:

اَلْحَمْدُ لِلّٰهِ الَّذِيْ أَحْيَانَا بَعْدَ مَا أَمَاتَنَا وَإِلَيْهِ النُّشُوْرْ

Tradução: Todos os louvores pertencem a Allah que nos concedeu a vida após a morte e para junto d’Ele seremos ressuscitados. (Sahíh Bukhári #6314)

Este duá nos recorda que cada dia é uma dádiva de Allah Ta’ála e uma oportunidade para corrigirmos as nossas falhas antes que o tempo de deixar o mundo chegue.

Portanto, cada um deve reflectir nas suas fraquezas e fazer um esforço para as rectificar. Devemos também cumprir com todas as ordens de Allah Ta’ála e cumprir com os nossos deveres para com as outras pessoas. Devemos fazer duá após cada salát obrigatório para que Allah Ta’ála nos conceda a sorte de praticar o díne.

O Profeta (sallalláhu alaihi wassallam) ensinou-nos a recitar o seguinte duá:

اللَّهُمَّ اجْعَلْ خَيْرَ عُمْرِيْ آخِرَهُ وَخَيْرَ عَمَلِيْ خَوَاتِمَهُ وَخَيْرَ أَيَّامِيْ يَوْمَ أَلْقَاكَ فِيْهِ

Tradução: Ó Alláh! Faça com que a última parte da minha vida seja a melhor, faça com que as minhas últimas acções sejam as melhores e faça com que o dia em que encontro Contigo seja o melhor dia da minha vida. (Majmauz Zawáid #17267)

Rogamos a Allah Ta’ála que nos conceda a sorte de praticar todos os Sunnates de Raçulullah (sallalláhu alaihi wassallam) e que faça o dia do Seu encontro, o melhor dia das nossas vidas. Amín

About admin2

Check Also

Os Jardins do Amor – 28ª Parte

Ensinar a Criança sobre a Existência e o Poder de Allah Ta’ála A educação da …