Home / Os Jardins do Amor / Os Jardins do Amor – 33ª Parte

Os Jardins do Amor – 33ª Parte

O Parceiro Ideal

Numa fase, todos ficamos preocupados em escolher o parceiro ideal com quem iremos passar o resto das nossas vidas. O rapaz pretende encontrar uma boa esposa, que esteja em concordância com os seus gostos, que seja uma boa mãe para os seus filhos, e que se enquadre no seu círculo familiar. Enquanto que, a menina pretende encontrar um marido que atenda às suas necessidades e seus caprichos, e lhe proporcione um bem-estar financeiro.

Estes são alguns aspectos levados em consideração pelas pessoas em geral na altura do nikáh.

O Islám ensina que, apesar das pessoas tomarem em consideração aspectos como a nobreza da família, beleza e afluência, o aspecto principal a ser considerado deve ser o Díne e a piedade.

Certa vez, Raçulullah (sallalláhu alaihi wassallam) disse que a mulher pode ser escolhida para o nikáh, tomando em consideração uma das quatro qualidades, nomeadamente: a riqueza, o estatuto familiar, a beleza e a piedade. Mas, para alcançar o sucesso é necessário escolher uma mulher piedosa. Se alguém escolher a sua esposa por algum motivo além da piedade, poderá se arrepender mais tarde. (Sahíh Bukhári #5090)

Certa vez, um homem veio ao encontro de Hazrat Hassan Bassrí (rahimahullah) pedindo que lhe aconselhasse, pois a sua filha havia recebido vários pedidos de casamento e não sabia a quem deveria aceitar. Hazrat Hassan Bassrí (rahimahullah) respondeu: “Escolha para a sua filha o homem que teme Allah Ta’ála.” De seguida, Hazrat Hassan Bassrí (rahimahullah) explicou a razão deste conselho dizendo: “Se ele gosta realmente da tua filha, ele irá honrá-la e respeitá-la, e se por acaso ele não gosta dela, ele nunca oprimir-lhe-á.” (Mirqát vol. 6, pág. 265)

Abaixo está em incidente do parceiro que Hazrat Abú Dardá (radhiyalláhu an’hu) escolheu para a sua filha:

Certa vez, Yazid bin Muáwiyah propôs para se casar com a filha de Hazrat Abú Dardá (radhiyalláhu an’hu). Apesar de Yazíd ser o dirigente no poder, Hazrat Abú Dardá (radhiyalláhu an’hu) recusou a sua proposta. Depois disso, um dos funcionários de Yazíd, que era um homem muito piedoso, foi ter com Yazíd e pediu-lhe permissão para propôr para se casar com a mesma menina. Yazíd zangou-se e pediu para que ele se retirasse. Após muita insistência, Yazid o permitiu.

Quando o homem foi pedir à Hazrat Abú Dardá (radhiyalláhu an’hu) a mão da filha em casamento, ele aceitou. A notícia espalhou-se, e as pessoas começaram a falar sobre a rejeição da proposta de Yazíd e a aceitação da proposta do seu trabalhador.

Quando as pessoas perguntaram a Hazrat Abú Dardá (radhiyalláhu an’hu) sobre a razão deste procedimento, ele respondeu: “Eu pensei cuidadosamente no futuro da minha filha Dardá. O que será dela quando entrar no palácio de Yazíd na primeira noite, e ver as riquezas e os serventes diante dela? Só de pensar na condição dela na primeira noite vendo todo o dunyá diante dela, pensei – o que será do seu Díne naquele dia?” (Hilyatul Awliyá 1/286)

Rogamos a Allah Ta’ala para que nos concede a sorte de fazer as escolhas certas e nos abençoe com cônjugues piedosos que tenham Díne. Amín!

About admin2

Check Also

Os Jardins do Amor – 32ª Parte

O Sunnah de se Preocupar com o Progresso Religioso dos Outros Hazrat Sháh Waliyulláh (rahimahulláh) …