Home / Artigos em Geral / Jardins do Amor – 8ª Parte

Jardins do Amor – 8ª Parte

O Salát – A Chave do Jannat

Islám é o único meio de adquirir o amor de Allah Ta’ála e adquirir o jannat. Entre os mandamentos do islám, o salát é o mais importante. Raçulullah (sallalláhu alaihi wassallam) disse: “O salát é a chave do paraíso.” (Tirmizi)

Podemos perceber através do Qur’án e hadíces que o Salát também atrai bênçãos para o sustento da pessoa.

Quando alguém aceitava o islám, o Salát era uma das primeiras coisas que Raçulullah (sallalláhu alaihi wassallam) o ensinava. (Musnad Bazzár #2765)

Quando Raçulullah (sallalláhu alaihi wassallam) chegou a Qubá no percurso a Madinah, a primeira prioridade foi de estabelecer um Masjid para unir as pessoas no Salát.

É relatado num hadíce que Raçulullah (sallalláhu alaihi wassallam) disse: “O Salát é o pilar central do díne.” Em outras palavras, se protegermos este pilar, todo o díne estará protegido, e ao destruir este pilar, todo o díne ficará destruído.

Sayyidah Aicha (radhiyalláhu an’há) relata que Raçulullah (sallalláhu alaihi wassallam) sempre ajudava com as tarefas de casa. Mas, assim que ouvia o azán, saía de casa em direcção ao masjid.” (Bukhári #5363) 

Certa vez, um grupo pertencente à tribo de Saqíf veio na presença de Raçulullah (sallalláhu alaihi wassallam) para aceitar o islám. Mas, eles pediram para ficar isentos de sair no Jihád, de pagar o Ushr (dar dez por cento da colheita) e de efectuar o Salát. Raçulullah (sallalláhu alaihi wassallam) aceitou os dois primeiros pedidos e rejeitou o pedido de deixar de efectuar o salát, e disse: “Não existe nada de bom numa religião em que não há salát.” (Sunan Abi Daúd #3026)

Mesmo na altura da morte, os Sahábah estavam preocupados em estabelecer o Salát.

É relatado que Sayyiduná Miswar bin Makhramah (radhiyalláhu an’hu) foi visitar a Sayyiduná Umar (radhiyalláhu an’hu) no dia em que Umar (radhiyalláhu an’hu) foi esfaqueado. Ao ver Umar (radhiyalláhu an’hu) inconsciente, ele perguntou aos que estavam presentes se Umar (radhiyalláhu an’hu) havia efectuado o seu salát. Eles responderam negativamente porque não havia recuperado a consciência desde que fora ferido.

Conhecendo a devoção de Umar (radhiyalláhu an’hu) no salát, Miswar aconselhou-os a acordá-lo mencionado que era hora de Salát. Então, eles gritaram: “Ó Amírul Mu’minín! O seu Salát.” Quando Umar (radhiyalláhu an’hu) ouviu essas palavras, acordou e exclamou: “Sim! Juro por Allah que não existe lugar no Islám para aquele que negligencia o salát.” De seguida, Umar (radhiyalláhu an’hu) efectuou o seu salát. (Majma’uz Zawáid #1659)

Rogamos a Allah Ta’ála que crie em nós a firmeza na observância do salát.

About admin

Check Also

Os Jardins do Amor – 20ª Parte

A Qualidade de Amánah – O Medo do Prestar de Contas no Ákhirah Amánah é …